Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Posts marcados ‘Reflexões quânticas’

A arte de viver, segundo Anselm Grün

Alguns pensadores do mundo contemporâneo são, para mim, filósofos da Nova Era. Seu pensar pode ter como fundamentação um viver religioso, como é o caso de Anselm Grün, 64 anos, doutor em Teologia e administrador da abadia beneditina de Münsterschwarzach, Alemanha. Ou não.

As origens desses novos pensadores são muito diversas, mas têm, como ponto comum – e aí vinculam-se aos primeiros filósofos de que temos notícia, os gregos da Antiguidade – a perspectiva “panorâmica” na forma de refletir sobre a vida.

Assim como os gregos antigos, os filósofos da Nova Era incluem em suas reflexões o concreto (a matéria, o que se pode medir, pesar etc.) e o abstrato (a energia, o espiritual, o que não se pode ver, mas sim sentir, intuir etc.).

Todos eles, filósofos da Nova Era, buscam mostrar o caminho do autoconhecimento e como, por meio dele, podemos viver melhor, ser mais felizes e, assim, contribuir de forma positiva para o mundo.

Olivrodaartedeviver150O Livro da Arte de Viver, de Anselm Grün, publicado pela Editora Vozes, é uma conversa, essencialmente carinhosa, feita de muitos temas e de pequenos tópicos, quase crônicas. Grün comenta sobre a felicidade e a importância de sermos o que de fato somos; sobre a busca da profundidade em todos os relacionamentos e a confiança no amor; sobre transformação, anseios e o viver – “viva em vez de ser vivido”, alerta. Também recomenda: “Aceite-se. Seja bom para você mesmo.”

Veja um trecho:

“O cerne da felicidade

Na minha juventude procurei imitar pessoas célebres. Queria ser tão erudito e tão perspicaz como o grande teólogo Karl Rahner e meu sonho era cantar tão bem como o brilhante tenor Fritz Wunderlich.

(…)

Hoje agradeço pelo que sou. Ainda me vêm à cabeça pensamentos como: ‘Gostaria de saber formular as questões tão bem quanto o fez Santo Agostinho’. Ou: ‘Oxalá eu conseguisse nas conversas manifestar meu pensamento com a mesma clareza que meu supervisor’. Quando percebo isto, procuro ficar comigo e dizer a mim mesmo: ‘Eu sou eu. E está bom assim como sou. Faço aquilo que estiver ao meu alcance’.

Quando consigo ficar totalmente em sintonia comigo mesmo e aceitar agradecido as capacidades que Deus me concedeu, mas ser grato também pelos limites que experimento, então pressinto de certa forma o que é a verdadeira felicidade. E mais: posso dizer a meu respeito que sou feliz. Está bom assim como está.

Sento-me despreocupadamente, respiro cadenciadamente e tenho prazer em sentir a vida, em perceber minha unicidade. Degusto a vida, saboreio a felicidade. Não preciso mudar nada com violência ou teimosia, não preciso trabalhar sempre duro em mim mesmo. Sou aquele que sou, incondicionalmente confirmado por Deus que me criou, formou e resguardou em seu amor. Então trago a paz em mim. Então tudo está bem.”

Anselm Grün

Não deixe de ver: Redação em quatro etapas, uma miniaula para você!

____________________________________________________________________________________________

Informática para a terceira idade

O avanço tecnológico vem acontecendo muito rápido. Por isso,  a geração mais velha às vezes se sente um pouco intimidada diante de um computador e das muitas maravilhas possibilitadas pela internet. Agora, no entanto, isso não é mais problema,  basta fazer um curso personalizado de informática (aulas particulares) com a Professora Berenice. Clique aqui para saber mais.

Você confia em sua percepção?

Algumas pessoas acreditam que não têm o que dizer. Por isso, sentem-se intimidadas quando precisam se expressar, em especial por escrito.oqueescrever

Fica fácil observar que é impossível não ter o que dizer.

Ideias, opiniões, avaliações, análises, reflexões estão sempre se formando dentro de nós, a partir de nossa percepção racional e emocional sobre nós mesmos, sobre o ambiente à nossa volta e sobre as pessoas com as quais nos relacionamos e com as quais convivemos…

Ter o que dizer também é resultado do conhecimento que vamos adquirindo ao longo do tempo por intermédio da educação familiar, da formação escolar, da experiência profissional, da vivência, da curiosidade…

Todo esse conteúdo é ainda aprimorado e refinado por meio da consulta, da pesquisa, do estudo, da observação. Esse adicional de informações passa pelo crivo da reflexão pessoal, resultando em ter o que dizer sobre um assunto de nosso interesse em determinado momento.

nanquimSe todos temos o que dizer, por que, então, para alguns colocar suas ideias no papel, na tela do computador, vira uma barreira quase intransponível?

Arriscando um palpite, diria que algumas pessoas não se permitem dizer.

Permitir-se dizer equivale a se soltar e esse movimento de liberdade começa no fortalecimento da confiança em nossas ideias, opiniões, sentimentos e percepções.

Mas como confiar? Será que nossas percepções indicam a verdade?

Sim e não, pois a verdade é muito relativa.

O que é verdade para alguns, nem sempre é para outros. E  todos têm razão.

É aquela história: se todos gostassem do azul, o que seria do amarelo ou do verde ou ainda do vermelho?

Todos temos argumentos muito convincentes para defender o apreço por esta ou aquela cor. Mas não podemos dizer que o outro está errado (ou certo) por preferir uma cor diferente. É uma questão de percepção.

 

A verdade é o que faz sentido para nós naquele momento.

 

Confiar nisso é confiar na própria percepção – no que pensamos e no que sentimos.

E é com base nessa confiança que conseguimos nos expressar melhor e mais plenamente.

Exercite sua percepção. Escreva sua opinião sobre o pensamento a seguir e a compartilhe aqui, mandando seu comentário.

 

fundoceupequeno“Quem se senta no fundo do poço

para contemplar o céu,

há de achá-lo pequeno.”

Han-Yu

 

 

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: