Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Posts marcados ‘poema’

Haicai 15

 

Passeio no parque –

respirar, em largos haustos,

uma miríade de verdes.

Parque 8

Anúncios

Haicai 2

Há momentos na vida

de muitos quereres,

mas poucos fazeres.

Quereres 3

O LADO DAS SOMBRAS

lava3

Do barro amassado,

eivado de essências

profundas,

das raízes de ferro,

níquel e fogo,

permeadas de gases

elementares,

dos vestígios de lava

e de vegetação

cristalizada,

da vida sem vida,

conta a lenda,

nasceu o primeiro

rebento da humanidade,

luz divina

lançada

sobre obscura

matéria-prima.

CANÇÕES DA ALMA

Canções da Alma 1

Mágico encanto

de sereias

silvar de cobras

arpejo de serafins

volteios

nostalgia

remansos

sem fim

vozes

caminhos

destino

feliz

murmúrios

rios interiores

gritaria

fantasmagórica

sem sentido

ruim

tristes cismas

melancolia

crepúsculo

lembranças

enfim

canções

que a alma canta

simplesmente

assim.

Canções da Alma 9

De bem

 

 

 

 

 

O aroma do assado

subverteu a ordem,

o coentro, o manjericão

espocaram na língua,

desfazendo os nós,

a framboesa,

derretida em calda,

suavizou a tensão,

o vinho espalhou-se,

generoso,

turbilhonando nas taças

de cristal,

as cores estaladas

das frutas e flores,

displicentemente

colocadas

sobre o aparador,

combinaram-se

como arco-íris

depois de chuva de verão,

o roçar da toalha branca,

de neve rendada,

o tilintar da fina porcelana,

tocada de leve

pelos talheres de prata,

inundaram de tons

irreverentes

o ambiente,

antes tão formal.

Uma refeição primorosa

selou, naquele dia,

as pazes do casal.

Tesouro

Eu tinha 12; você, 16.

Éramos crianças,

adolescentes,

ingênuos.

Mãos dadas, nenhum beijo,

só o entusiasmo da primeira paixão.

Separamo-nos não me lembro como,

nem a razão. Sei que segui viagem,

por difíceis atalhos, e que você guardou,

numa pequena arca, em lugar bem oculto

do seu coração, o amor

que não havia germinado.

Depois de muita dor e solidão

pelos caminhos e descaminhos da vida,

voltamos a nos encontrar,

movidos por intangíveis e misteriosas

lembranças. Abrimos juntos seu tesouro,

tão bem cuidado por 33 anos,

e descobrimos, emocionados,

que havia nascido uma flor.

Escolha

Estamos sempre tentando
alcançar a felicidade
como se fosse uma meta,
um troféu, uma conquista,
alguma coisa que se pega.
Avançamos, sedentos,
e ela se revela
apenas uma miragem,
que se distancia
cada vez mais
enquanto sofremos.
Não compreendemos
que a felicidade não existe
enquanto não a escolhemos
para estar em nós mesmos,
maravilhando-nos,
dia após dia,
com a oportunidade
da vida.

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: