Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Posts marcados ‘poema sobre a vida’

Aquarela VII

A areia das praias

dunas, desertos

foi parar no céu

espatulada

em nuvens prateadas.

Por um longo instante

o mundo ficou virado

de ponta-cabeça.

E então

como se nada fosse

tudo se desfez.

O pó feito de água

escoou, escorreu

suavemente

pela ampulheta

do horizonte.

Ampulheta 2

TUDO OU NADA?

Patos na lagoa 4

Cansaço de tudo

de pensar no hoje

de esperar pelo amanhã

das tarefas obrigatórias

da posição defensiva

diante das ameaças

do mundo

do próximo

do distante

do sucesso do outro

da ilusão de dar valor

a esse sucesso

ou ao próprio

tão passageiro

está sendo

já foi

e lá vem outra onda

de fatos, acontecimentos

eu dentro, eu fora

sim e não, tanto faz

por isso, o cansaço

o desapego

pois o que é o viver

senão ser parte

de tudo, de um todo

assim como a pata

que ciceroneia

os patinhos na lagoa.

Deixa passar…

Mais sábio tirar

o amor do sofrimento

que não é inerente

mas provocado

por causa do excesso

ou por falta, descaso

se há uma média

uma dose certa

desse amor

que tudo permeia

fluindo como água

estimulando a vida

por onde passa

talvez esteja aí mesmo

nesse movimento

sem mistério

nada de segurar

prender o amor

dele tomar posse

deixá-lo passar

eis a melhor receita

nem muito, nem pouco

apenas não contê-lo.

 

 

Haicai 3

Difícil desgarrar

da imagem para se

aninhar na essência.

Imagem 1

Haicai 2

Há momentos na vida

de muitos quereres,

mas poucos fazeres.

Quereres 3

PASSOU, PASSARÁ

serenidade 2

Não olhar para trás

Não indagar o futuro

Viver o presente

De preferência, o agora

Ter outra noção dos dias que passam

Sem ansiedade

Sem emaranhar o futuro

Sem se ancorar no passado

Não chorar pelo leite derramado

Não sofrer por antecipação

Serenidade

Eis a lição do tempo.

Fragmentos II

Como sempre,

a vida surpreende.

Nada será como foi,

nem tampouco

diferente.

Apenas será

e continuará sendo,

indefinidamente.

Minha alma

é um oceano;

minha persona,

um rio que corre

em direção ao mar.

Gradações do amor

Ondainterna2Do afeto

puro e simples

à compaixão,

esculpida com paciência

em nossos corações,

o amor

flui, transforma,

refaz,

frutifica,

em seu escorrer

pela alma.

Quando estanca,

translúcido,

no poço fundo

do nosso eu,

avança para o alto

até não ser mais contido,

num transbordamento

de luz.

Aquarela III

 

guarujaguardasolverm

O marido fuma

sentado na cadeira

ali ela deixa

frente à vastidão

dissipadora

do mar

ela faz cera

antes de sentar

e pegar a revista

de sérias notícias

alonga-se como se

antes talvez depois

o exercício fosse

ou tivesse sido

exaustivo

mas há uma

cadeira embaixo

do guarda-sol

protetor e

um espelho

em algum lugar

ela abre a caixinha

nem tanto pra se ver

mais essencial

é passar um pouquinho

de pó de arroz!

 

Aquarela II

chuvajanela495

O mundo desaba

torrente de lágrimas

nuvens escuras raios amarelos

percussão de trovões

pouca gente na rua

é domingo

recolhimento e medo

orações

a água escorre dentro de casa

janelas fechadas

cortinas molhadas

sirenes

de repente um fog

londrino

o ar se torna espesso fumaça

o vento vem e espalha

umidade densa

entorna

penetra ultrapassa

a terra o asfalto

fica muito nítido

limpo claro

a noite recende a alfazema

e canta sem palavras

tudo passa tudo passa

Nuvem de tags

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: