Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Os critérios de avaliação do ENEM baseiam-se em cinco competências, cada uma valendo uma nota que varia de zero a duzentos pontos. A soma desses pontos compõe a nota total, que pode chegar a 1000 pontos.

Para se sair bem na redação do ENEM, é fundamental entender, e atender adequadamente, o que é pedido em cada uma dessas competências. Vamos a elas:

Competência 1 – Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita

Para ter uma boa nota nessa competência, você precisa escrever seu texto de acordo com a modalidade escrita formal da língua portuguesa, ou seja, nada de usar a linguagem coloquial das conversas e, menos ainda, da internet. É preciso também seguir as regras de ortografia e de acentuação gráfica regidas pelo atual Acordo Ortográfico.

Usando, então, uma linguagem formal, procure desenvolver sua redação de maneira clara, objetiva e direta, estruturando frases com começo, meio e fim, ou seja, com informações completas e bem encadeadas, que contribuam para a fluidez da leitura.

Também fique atento para o uso de um vocabulário variado e correto. Evite repetir palavras e busque os termos mais precisos, ou seja, que tenham de fato o sentido do que você quer expressar. Se não souber ou tiver dúvidas quanto ao significado correto de uma palavra, substitua por outra cujo sentido você conheça e que seja ajustada para aquele contexto. É melhor escolher palavras mais simples, mas corretas, do que termos sofisticados, mas inadequados.

Outra importante ferramenta que você deve usar para demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita é a pontuação. Em uma conversa, para expressar com clareza suas ideias, você usa basicamente a entoação: inflexão ou modulação que se dá à fala para que o interlocutor perceba que o falante está formulando uma afirmação, pergunta, pedido ou ordem; que está surpreso, contente etc.

Quando você escreve, no entanto, só tem palavras enfileiradas no papel. Como sinalizar quando existe uma pausa, um fim, uma pergunta, uma hesitação etc.? Ainda bem que existe a pontuação, recurso indispensável para dar clareza e precisão à expressão de ideias por escrito e que tem, justamente, a função lógica de organizar o texto.

Competência 2 Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento, para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo

Como vimos no post Não fuja do tema! desta série, é fundamental, para se sair bem na redação do ENEM, entender corretamente a proposta de redação: qual é o tema mais amplo e qual o recorte do tema indicado pela banca.

Também vimos, no post Desenvolva o tipo de texto pedido, que é preciso desenvolver a redação de acordo com o padrão de texto dissertativo-argumentativo, um texto que se caracteriza por ser opinativo, organizando-se na defesa de um ponto de vista sobre determinado assunto.

Para desenvolver sua redação, inspire-se nos textos motivadores, mas não copie trechos deles, pois esse procedimento é avaliado de forma negativa, diminuindo sua pontuação (veja mais no post É bom saber!). Melhor utilizar informações de várias áreas do conhecimento para justificar e validar seu ponto de vista. Evite recorrer a reflexões previsíveis, que demonstram pouca originalidade no desenvolvimento do tema proposto.

Seu texto, para ser bem avaliado nessa competência, deve ser estruturado com uma introdução, em que a tese a ser defendida é explicitada (começo do texto); argumentos que comprovam a tese distribuídos em até três parágrafos do desenvolvimento (meio do texto); e um parágrafo final com o arremate da reflexão feita mais a proposta de intervenção funcionando como uma conclusão.

Competência 3 – Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista

Para se sair bem na avaliação dessa competência, seu texto deve apresentar consistência e coerência.

Um texto consistente explora em profundidade o assunto que é a essência da mensagem, apresentando informações completas e confiáveis e argumentos bem desenvolvidos e convincentes.

Um texto coerente traz as ideias harmoniosamente encadeadas, de maneira a traçar uma linha de raciocínio objetiva e de fácil acompanhamento pelo leitor.

Para conseguir consistência e coerência em seu texto, vale fazer um planejamento prévio, montar um roteiro antes de escrever. Veja como:

  • Defina seu ponto de vista sobre o tema da proposta de redação em até quatro linhas;
  • Com base nesse ponto de vista, defina um título para sua redação;
  • Defina, então, em linhas gerais, o que você vai incluir no começo (introdução), no meio (desenvolvimento) e no fim (conclusão) de seu texto;
  • Para o começo de seu texto, busque ideias nas respostas a três questões: sobre qual assunto estou escrevendo? / estou escrevendo sobre esse assunto em qual contexto? / qual é o meu ponto de vista sobre esse assunto?
  • Para o meio, relacione argumentos (informações, fatos, dados, histórias, exemplos, reflexões, explicações, análises, citações, comparações, alusões históricas, entre outros) que ajudem a defender, justificar e validar suas ideias a respeito do assunto;
  • Para o fim, retome o fio condutor de seu raciocínio e pense na proposta de intervenção como uma sugestão que pode minimizar, ajudar a resolver o problema apontado na discussão do assunto.

Feito o roteiro, analise-o pelo prisma da consistência: há um ponto de vista bem definido sobre o assunto? / os argumentos escolhidos são os mais adequados para a defesa desse ponto de vista? / os argumentos escolhidos dão sustentação lógica e clara a esse ponto de vista?

E também pelo prisma da coerência: os três segmentos lógicos do texto (começo, meio e fim) estão bem articulados? / as ideias estão harmoniosamente encadeadas? / há uma linha de raciocínio objetiva e de fácil acompanhamento pelo leitor, que “costura” o começo ao meio e o meio ao fim?

O passo seguinte é escrever sua redação, lembrando que um texto consistente e coerente flui agradavelmente, envolvendo o leitor e fazendo-o refletir a respeito do que está escrito.

Competência 4 – Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação

Se a competência 3 avalia o conteúdo da sua redação, ou seja, a consistência e a coerência de suas ideias, a competência 4 verifica a forma como você articula essas ideias ao longo do texto; primeiro, encadeando-as em frases, períodos e parágrafos e, depois, encadeando frases, períodos e parágrafos entre si.

O principal recurso dessa articulação, essencial para que o texto flua de forma clara e agradável, são os conectores: palavras ou expressões que estabelecem conexão entre frases, períodos e parágrafos de um texto, permitindo a sequência harmoniosa de ideias.

Quando um texto está bem articulado, com seus vários segmentos encadeados em uma sequência lógica, dizemos que há coesão textual. A utilização adequada de elementos de coesão, os conectores, contribui para a progressão textual.

Os conectores não são palavras estranhas à nossa escrita rotineira. Ao contrário, são muito conhecidos. Entre eles estão conjunções, advérbios, pronomes, locuções adverbiais etc. No texto, funcionam como pecinhas de quebra-cabeça, cujo encaixe adequado possibilita formar corretamente o quadro geral.

Vamos rever, agora, alguns desses conectores discursivos e os efeitos de sentido que agregam às frases, períodos e parágrafos:

Para dar sentido de continuidade ou acrescentar algo – e / além disso / ainda / também / ademais / não só / não apenas / bem como

Para ilustrar ou esclarecer algo – por exemplo / isto é / ou seja / aliás

Para mostrar propósito, intenção ou finalidade – a fim de / com o propósito de / com o intuito de / para que / para

Para concluir ou introduzir um resumo – em suma / em síntese / portanto / assim / dessa forma / dessa maneira / desse modo / logo / pois / nesse sentido

Para explicar causas e consequências – por consequência / por conseguinte / por isso / por causa de / em virtude de / assim / com efeito / que / já que / uma vez que / portanto / de tal forma

Para introduzir contraste, oposição, restrição e ressalva – pelo contrário / salvo / exceto / menos / mas / contudo / todavia / entretanto / no entanto / apesar de / ainda que / mesmo que / posto que / ao passo que / em contrapartida

Veja, a seguir, como a utilização de conectores ajuda a fazer fluir o texto:

Estudou muito para o vestibular. Além disso, leu todos os livros recomendados, ou seja, investiu tempo e disposição nessas tarefas, com o propósito de alcançar seu objetivo.

Dessa forma, não viu o tempo passar e, quando chegou o momento do exame, por causa de sua dedicação, foi muito bem-sucedido.

Contudo, não começou a faculdade junto com os outros calouros, mas isso ocorreu por um bom motivo: estava de férias na praia, pois precisava muito de um descanso.

Prepare-se, então. Em sua redação, para se sair bem nessa competência, você deve usar conectores para garantir as relações de continuidade essenciais à elaboração de um texto coeso, ou seja, que apresenta unidade lógica.

Competência 5 – Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos

Vale a pena investir atenção e cuidado na elaboração de uma proposta de intervenção. Para conseguir a melhor nota nessa competência, sua sugestão precisa ser detalhada, relacionada ao tema e articulada com a discussão desenvolvida no texto.

Por expressar a sua visão, como autor, das possíveis soluções para a questão discutida, essa proposta deve estar coerente com a sua argumentação e apresentar um vínculo direto com a tese desenvolvida no texto.

Além disso, importante lembrar que sua proposta deve respeitar os direitos humanos: “não rompa com valores como cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural”, esclarece a Cartilha do Participante do ENEM.

Sua proposta de intervenção deve incluir não só a ação sugerida, mas também o agente social – pais, educadores, escola, governo, redes sociais, mídia, instituições etc. – capaz de executá-la, de acordo com o âmbito da ação sugerida: individual, familiar, comunitário, social, político etc.

Não se esqueça ainda de detalhar, em sua proposta, o meio de execução da ação sugerida, respondendo à pergunta: como isso pode ser feito?; bem como os resultados, em linhas gerais, que você imagina alcançar com a intervenção.

Faça, então, uma proposta de intervenção bem elaborada e detalhada para garantir uma boa avaliação nessa competência.

Leia também:

Palavras 8

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: