Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Aquarela VI

DSCN1183-OK

Pela minha janela

quando a noite acorda

e luzes vívidas espalham-se

em direção à profundidade escura

do horizonte

tenho a cidade a meus pés

tudo muda

quando o dia amanhece e

pela minha janela

fico à mercê da cidade

com sua claridade cambiante

de cores típicas

que nunca são as mesmas

vez ou outra a amplitude do céu

serena imutável

altera-se

por conta de elementos dissonantes

nuvens chuva raios bruma

pássaros em voo tão próximo

aviões de carreira

que sulcam trilhas retilíneas

metálicamente brilhantes

pela minha janela

aprecio os tons esmaecidos

do poente

o nascente vibrante

um quadro mutante

uma obra aberta

uma pintura sempre renovada

uma sinfonia

que enche minha casa

de intangível beleza

DSCN1197.jpg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: