Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Arquivo para maio, 2014

FUNDO DE MIM

 Quando foi que desaprendi

de chorar, que as lágrimas

não secaram ou congelaram

mas ficaram contidas

uma lembrança úmida

empoçada em caminhos internos.

E se não choro

minh’alma doída

não encontra vazão para o sofrer

resta, então, ao sentimento

assim retido, aprisionado, torturado

fluir e fluir e continuar fluindo

pelas águas subterrâneas.

rios subterrâneos 6

Anúncios

Poço sem fundo,

mesmo assim

o afogamento

é impossível.

As profundezas

da mágoa

encobrem a dor

apenas por instantes,

pois tão logo mergulha,

flutua de volta,

como uma rolha.

caverna1

CANÇÕES DA ALMA

Canções da Alma 1

Mágico encanto

de sereias

silvar de cobras

arpejo de serafins

volteios

nostalgia

remansos

sem fim

vozes

caminhos

destino

feliz

murmúrios

rios interiores

gritaria

fantasmagórica

sem sentido

ruim

tristes cismas

melancolia

crepúsculo

lembranças

enfim

canções

que a alma canta

simplesmente

assim.

Canções da Alma 9

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: