Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Barcos

 

 

 

 

 

 

 

As mágoas,

os ressentimentos

– o que não perdoamos

nem esquecemos –

são como âncoras

a nos segurar

em eterno estaleiro;

as velas gemem, estalam,

anseiam pelo vento,

que as acalenta, convidativo;

os barcos giram

em volta de si mesmos,

avançam, recuam,

mas não navegam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: