Prosa, poesia, conexões quânticas, dicas de redação e de leitura, comentários, reflexões… Palavras em infinito movimento!

Aulas de Redação IV

AULAS DE REDAÇÃO

Faça AULAS DE REDAÇÃO ON-LINE personalizadas, com foco 100% em suas dificuldades.

Aproveite os PREÇOS PROMOCIONAIS, válidos para janeiro de 2021:

  • Faça uma aula e ganhe um desconto de R$10,00. Em vez de R$70,00, pague R$60,00 a hora aula.
  • Faça quatro aulas, pague o total à vista e ganhe MAIS UM DESCONTO de R$20,00! Em vez de R$240,00, pague R$220,00 por quatro aulas.

 

CORREÇÃO DE REDAÇÕES

Conheça também o serviço de CORREÇÃO DE REDAÇÕES via e-mail, destinado à preparação de vestibulandos e concurseiros. Com correções, comentários e indicações da melhor forma de superar os problemas identificados.

Aproveite OFERTA IMPERDÍVEL, válida somente para este mês:

  • R$25,00 por redação OU CINCO REDAÇÕES CORRIGIDAS POR R$100,00 (uma redação sai grátis!)

Entre em contato pelo fone (43) 9 9996.7791 (WhatsApp) ou por e-mail: anasetti@uol.com.br

Para quem quer se entreter com uma leitura envolvente e agradável.

O livro está à venda na Amazon: http://bit.ly/assassinatoconsentido-ebook

Cada um em seu casulo

Pandemia - Casulo 5

Quantos virarão borboleta?

PREOCUPAÇÕES DO HOJE

ESPERANÇAS DO AMANHÃ

Paradoxos são aquelas afirmações que trazem uma contradição em si. Podem ser muito instigantes ou apenas divertidos. Confira a seguir.

Filosofando sobre o vir a ser:

O futuro nos pega de surpresa!

Paradoxo Futuro

“Tirando o time” com certa elegância:

Me inclua fora disso.

Paradoxo Incluir

Desconversando na conversa:

Nem sim, nem não,

muito pelo contrário!

Paradoxo Contrário Horas

Avisando os seguidores, antes da selfie:

Meu melhor perfil é o de frente.

Paradoxo Perfil

 

 
 

 

Paradoxo = aparente falta de nexo ou de lógica; contradição ter um romance platônico numa época de amor livre é um tremendo paradoxo›. (Houaiss)

Paradoxo = Opinião ou proposição contrária ao senso comum; contrassenso, disparate. (Michaelis)

“Brasil chega a 136.565 mortes por Covid e passa de 4,5 milhões de casos” (G1 / 19/09/2020)

“Em 14 dias do mês, Amazônia já tem mais queimadas que em todo setembro do ano passado” (FSP / 15/09/2020)

“Queimadas no Pantanal: multas do Ibama despencam apesar de recorde de incêndios” (BBC Brasil / 15/09/2020)

“Desemprego na pandemia continua subindo e chega a 13,7%” (Agência Brasil / 14/08/2020)

“Fome aumenta 43,7% em 5 anos e Brasil tem 1ª piora em segurança alimentar, diz IBGE” (Estadão / 17/09/2020)

“Pandemia deve intensificar abandono de escola entre alunos mais pobres” (UOL Educação / 23/07/2020)

 

DE QUE RI BOLSONARO?

Firmeza

Não é que tenha sido corajosa

frente às dificuldades,

apenas não desisti.

Construção 4

 

Poder

Para se contrapor às “carteiradas”, discriminações e outras formas de intimidação tão em moda no momento, e desde sempre, o importante é cultivar, preservar, manter, usar a:

DIGNIDADE

que significa, em linhas gerais:

Consciência do seu próprio valor e do valor de suas ações;

Respeito aos próprios sentimentos;

Amor-próprio.

Flor na calçada 2

Haicai 22

Pandemia – sentir no ar,

em todo lugar, o aroma

pungente do álcool em gel.

Vento e tempestade 2

Retrospectiva

Apesar dos muitos erros,

os acertos prevaleceram.

Flores ao vento 15 - Cópia

Como se viu na cerimônia de posse do novo ministro da saúde, em Brasília, quem está no poder muitas vezes não tem noção de ridículo

Estamos em meio a uma assustadora e brutal pandemia, que tem deixado um rastro de morte no ar e levado muitos sistemas de saúde em todo o mundo ao colapso. O pior é que ainda sabemos pouco sobre este cataclismo que se abateu sobre nós; por isso, enquanto em todos os cantos do planeta desenvolve-se uma busca frenética por mais conhecimento e soluções, a orientação que prevalece no momento é prevenir a escalada da doença com medidas de distanciamento social.

No entanto, em Brasília – nunca é demais repetir: em meio a uma assustadora e brutal pandemia, contra a qual a única contenção conhecida até o momento é o distanciamento social –, demite-se o ministro da saúde por razões que desafiam a própria razão, como, por exemplo, cumprir muito bem seu papel de coordenar o planejamento e a execução das defesas possíveis no combate ao inimigo invisível.

Como se não fosse suficiente, faz-se um cerimônia de posse – em meio a uma pandemia, não esqueçamos – para o novo ministro, com direito a não utilização de máscara, aglomerações, conversas “ao pé do ouvido”, cumprimentos efusivos e reiterados, discursos vazios, mas cheios de perdigotos lançados sobre a plateia. Estamos em meio a uma pandemia, esqueceram?

Eu, que saí (a única saída desta semana) ainda agora para as compras no supermercado toda paramentada, de máscara e luvas, mantendo distâncias adequadas no trajeto e no local; usando álcool em gel tanto na ida, para pegar o carrinho e fazer o pagamento (antes e depois), quanto na volta, para limpar mantimentos, maçanetas e chave da porta; deixando os sapatos do lado de fora; ficando nua (ou quase) na lavanderia, para deixar a roupa usada tomando um ar, e lavando as mãos com água e sabão entre uma tarefa e outra, fiquei perplexa.

Lembrei daquele episódio de nossa história, em 9 de novembro de 1889, quando o imperador dom Pedro II promoveu um suntuoso baile na Ilha Fiscal, Rio de Janeiro, a então capital imperial, por variadas razões oficiais, mas com o intuito de provar, de acordo com historiadores, que a monarquia estava mais forte do que nunca. Seis dias depois, no entanto, com a proclamação da República, o Império do Brasil chegava ao fim.

O ponto comum entre os dois fatos reside na ilusão, no que se quer acreditar, apesar de a realidade mostrar o contrário. No século XIX, o imperador e seu entorno não perceberam que a monarquia não mais se sustentava e deram uma festa para mostrar que tudo estava bem. No século XXI, o presidente e seu entorno não percebem que o mundo, conforme o conhecemos, está soçobrando e continuam pensando em manter tudo como estava, como se isso fosse possível. Seria ridículo, não fosse tão trágico!

Nuvem de tags

%d blogueiros gostam disto: